Os santos meninos de Santarém

por Frei Luiz de Sousa

Tipografia Católica, Rua Eugénio dos Santos, 134, Lisboa

Consideração das Lágrimas….

Consideração das lágrimas que a Virgem N. S. derramou na Paixão do seu Filho Santíssimo

imagem da edição de 1694

1ª edição: Impresso  por António Alz (Alvarez), Lisboa, 1646;

2ª edição:  Inserida no livro « Luz pera visitar as estações da via sacra….», Coimbra, na Officina de João Antunes, 1694.

3ª edição: Inserida no livro «Vida do Beato Henrique Suso..»,impresso na Officina de Miguel Rodrigues, Lisboa,1764.

4ª edição: Inserida na reedição do livro acima indicado: «Vida do Beato Henrique Suso….», Imprensa da Universidade, Coimbra, 1836;

5ª edição: Estudos de Castelo Branco, Castelo Branco, 1972;

Vida do Beato Henrique Suso

da Ordem dos Pregadores, traduzida de latim em português: Considerações das lágrimas de Nossa Senhora. E outras obras em prosa, e em verso, que andavão dispersas compostas por Padre Fr. Luís de Sousa, religioso da dita Ordem a que se ajuntou a Vida do mesmo autor , e o juízo sobre o seus Escritos

3ª edição em 1836  (1ª em 1643; 2º em 1764), Imprensa da Universidade, Coimbra;

Contêm:

*Vida do Padre Fr. Luís de Sousa e juízo sobre o seus escritos;

*Epístola do Beato Henrique Suso;

*Vida do Beato Henrique Suso;

*Considerações das lágrimas que a Virgem Nª Srª derramou na Sagrada Paixão;

*Várias composições do Padre Fr. Luís de Sousa;

Vida de D. Frei Bartolomeu dos Mártires

por Fr. Luís de Sousa op
Introdução de Aníbal Pinto de Castro
Fixação do texto de Glastone Chaves de Melo e Aníbal Pinto de Castro
Colecção: Biblioteca de Autores Portugueses
Co-edição Imprensa Nacional/Casa da Moeda e Movimento Bartolomeano, 1984, Lisboa;

Convento de São Domingos no Porto (6)

«Pedro, pola paciencia de Deos, Bispo do Porto, a todos os moradores deste nosso Bispado, assi Ecclesiasticos, como Seculares, saude, e acrecentamento em bem fazer. Sabereys que nós recolhemos nesta nossa Cidade para morarem nella, aos Frades Prégadores, com consintimento e gosto dos Conegos, e de todos os Cidadaons, tendo por certo que sua companhia há necessaria, e há-de ser de proveito temporal, e espiritual para todos os moradores da cidade e Bispado. Pela qual rezão, visto como os Religiosos não possuem nenhuma cousa de proprio, nem podem compor sua Igreja, e fabricar as casas, de que tem necessidade, sem vossa e minha ajuda, rogamos-vos a todos, e em remissão de nossos peccados, vos encarregamos, que mostreis com elles facilidade, e devoção, assi em os ajudar a cortar, e ajuntar a madeyra, como no carreto da pedra necessaria para a obra, conforme aquillo: Pera si edifica, quem a Deos faz casa. E por tanto confiando nós plenissimamente na misericordia de deos a todos aquelles que fielmente lhes acudirem no colher da madeyra, e carregar da pedra: ou lhes derem por si, ou por outrem, hum dia de trabalho na obra, concedemos quarenta dias de perdão das penitencias que lhe forem impostas. Dada no Porto a 6 de Março da era de 1276 (1238 de Cristo)Valha por tempo de dois annos

in História de S. Domingos, por Fr. Luís de Sousa

Aquela Famosa Trombeta

Fr. Raul de Almeida Rolo O.P
«AQUELA FAMOSA TROMBETA»
Fr. Luís de Sousa
(Vida do Arcebispo, liv. IV, cap. 23)
Separata do Boletim Mensal da Sociedade de Língua Portuguesa
Lisboa
1964
Comp. e Imp.na Soc. Astória, Ldª
Regueirão dos Anjos, 68, Lisboa

.