Fraternidade de Ansião

Decreto de erecção da Fraternidade Leiga de S. Domingos, em Fonte de Ansião, concelho de Vagos, datado de 5 de Novembro de 1953, in Arquivo Provincial Leigo

Anúncios

Convento de São Domingos no Porto (6)

«Pedro, pola paciencia de Deos, Bispo do Porto, a todos os moradores deste nosso Bispado, assi Ecclesiasticos, como Seculares, saude, e acrecentamento em bem fazer. Sabereys que nós recolhemos nesta nossa Cidade para morarem nella, aos Frades Prégadores, com consintimento e gosto dos Conegos, e de todos os Cidadaons, tendo por certo que sua companhia há necessaria, e há-de ser de proveito temporal, e espiritual para todos os moradores da cidade e Bispado. Pela qual rezão, visto como os Religiosos não possuem nenhuma cousa de proprio, nem podem compor sua Igreja, e fabricar as casas, de que tem necessidade, sem vossa e minha ajuda, rogamos-vos a todos, e em remissão de nossos peccados, vos encarregamos, que mostreis com elles facilidade, e devoção, assi em os ajudar a cortar, e ajuntar a madeyra, como no carreto da pedra necessaria para a obra, conforme aquillo: Pera si edifica, quem a Deos faz casa. E por tanto confiando nós plenissimamente na misericordia de deos a todos aquelles que fielmente lhes acudirem no colher da madeyra, e carregar da pedra: ou lhes derem por si, ou por outrem, hum dia de trabalho na obra, concedemos quarenta dias de perdão das penitencias que lhe forem impostas. Dada no Porto a 6 de Março da era de 1276 (1238 de Cristo)Valha por tempo de dois annos

in História de S. Domingos, por Fr. Luís de Sousa

Fraternidades existentes em 1949

O documento que se apresenta, do Arquivo Provincial Leigo, armário 1, pasta «Circulares», diz respeito ao balanço do mandato (1936-1949), do Director da Ordem Terceira, Frei Gil Alferes, entregue ao seu sucessor no cargo, Frei Estevão de Faria. Não está datado, mas o Frei Estevão foi nomeado em Abril de 1949. E refira-se que Fr. Gil não indica a existência da Fraternidade do Porto (feminina) antes de 1936, tendo esta sido fundada pelo Fr. José Lourenço em 06-01-1917, na Igreja de Cedofeita, passando a reunir na casa dos dominicanos, no Jardim do Carregal quando estes ali se instalaram em 1938.

Gil-relat-1«Quando Assumi, em 1936, a Direcção das Fraternidades Dominicanas dos nossos irmãos Terceiros havia apenas a Fraternidade de Coimbra, Avanca, de Santarém, de Elvas e de Viana do Castelo: 5 ao todo.

Entrego 40 em 1949 umas com mais vida do que outras que representam o esforço e preocupação de ver a Ordem de S. Domingos prosperar mais em obras que por palavras.

Faço ardentes votos com preces ao céu para que semente dê muitos frutos.

Frei Gil Alferes, o.p.»

Gil-relat-2
Gil-relat-3

Breve notícia da origem e instituição da Nossa Ordem Terceira nesta cidade do Porto feita pelo muito Rdº P.e M.e Director Fr. Simão do Sacramento

Breve notícia da origem e instituição da Nossa Ordem Terceira nesta cidade do Porto feita pelo muito Rdº P.e M.e Director Fr. Simão do Sacramento.

«Lembrando-me eu das repetidas queixas que o o Padre Fr. Luís de Souza, cronista desta nossa Província de Portugal, lamenta o descuido que tiveram os nossos padres antigos, em apontar as coisas dignas de memória, determinei (para satisfação dos vindouros) de colher as notícias da origem que a Ordem Terceira nesta cidade tivera, e por isso falando com os mesmos principiadores e aclamadores dela, tomei deles repetidas e verdadeiras informações de que formei a relação seguinte. Continuar a ler

Actas – I Jornadas da Família Dominicana – 1983

scan0017Actas das Primeiras Jornadas de Estudo sobre a Família Dominicana
Documento de Bolonha
Fátima, 6 a 8 de Agosto de 1983

Índice
* Primeiras Jornadas de Estudo
* Programa das Jornadas
* Participantes das Jornadas
* As Jornadas dia a dia
* Saudação do Secretariado
* Metodologia das Jornadas
* 1ª Apresentação do Documento de Bolonha
* 1º Plenário
* Actividade missionária em África
* 2ª Apresentação do Documento de Bolonha
* 2º Plenário
* Pastoral Juvenil
* Perspectivas de futuro
* Eleição do Secretariado
* Propostas dos Jovens «Caminhada»
* Avaliação das Jornadas
* Palavras de encerramento
* Celebração da Eucaristia
* Índice

Diário da Comissão Administrativa dos Conventos Extintos ou Abandonados – 1

Diário da Comissão Administrativa dos Conventos Extintos ou Abandonados

Composição:
Joaquim José Duarte de Sousa
Domingos João d’Almeida
Manoel José Ferreira Sampaio

Arquivo Distrital do Porto – PT/ADPRT/AC/GCPRT/J-A/o45/4835

Criação da Paróquia de Cristo-Rei (Porto) – 1

DOCUMENTO HISTÓRICO*

Fazemos saber que, tornando-se conveniente criar uma nova Paróquia com sede na Igreja do Convento dos Reverendos Padres Dominicanos à Praça D. Afonso V, desta cidade do Porto, tendo sido solicitada a sua criação por muitos fiéis que frequentam aquela Igreja;

Considerando que a comunidade dos Padres Dominicanos deseja a criação da mesma paróquia, com sede na sua Igreja;

Considerando que este Centro de Culto e piedade desenvolve uma acção intensa na zona circunvizinha;

Consultados o Conselho Presbiterial da Diocese, a Junta de Coordenação Pastoral, a Comissão de Infra-Estruturas Pastorais e os párocos de Aldoar, Foz do douro, Lordelo do Ouro, Nevogilde, Ramalde e Senhora da Ajuda,

HAVEMOS POR BEM criar, nesta cidade do Porto a paróquia experimental de CRISTO-REI, com sede na Igreja do Convento dos Padres Dominicanos, à Praça D. Afonso V, que terá, na forma provisória presente, os seguintes limites:

NORTE:  – Avenida da Boavista, desde a confluência da Avenida Marechal Gomes da Costa, descendo até ao Caminho Fundo, também chamado Caminho POENTE: Caminho Fundo ou Caminho Velho até à Rua de Fez; daqui até à Rua do Crasto; Rua do Crasto até à projectada Avenida Nun’Àlvares Pereira  (de Cima); projectada Avenida Nun’Àlvares Pereira (de Cima) até à Praça do Império;

SUL: Linha recta que divide a Praça do Império, desde a projectada Avenida Nun’Àlvares Pereira (de Cima) até à projectada nova Avenida que sai da Praça do Império a norte da Rua Diogo Botelho; nova Avenida projectada até à confluência da Rua do Carvalho; desta confluência por uma linha imaginária até ao início da Rua João Rodrigues Cabrilho e Rua João Rodrigues Cabrilho;

NASCENTE: Rua de Gil Eanes; Rua D. João de Castro e Avenida Marechal Gomes da Costa até à confluência com a Avenida da Boavista.

Os limites são rigorosamente pelos eixos das avenidas ou ruas, com excepção da Avenida do Marechal Gomes da Costa, na parte compreendida entre a Rua D. João de Castro e a Avenida da Boavista, que ficará a pertencer à paróquia de Cristo-Rei;  e o prédio da Avenida da Boavista nº2856 (Colégio de Nossa Senhora do Rosário), que pertence à paróquia de Lordelo do Ouro e que passará a pertencer à nova paróquia experimental.

Porto, CASA EPISCOPAL, aos 2 de Fevereiro de 1979, Festa da Apresentação do Senhor.

E eu, Padre Artur Martins da Silva, Escrivão da Câmara Eclesiástica, a subscrevi.

ANTÓNIO, BISPO DO PORTO

* in «Voz de Cristo-Rei», nº2, Dezembro de 1980