Gloriosos trabalhos do Hercules da Igreja S. Domingos de Gusmão

Imagem na  antecapa:

Consideração das Lágrimas….

Consideração das lágrimas que a Virgem N. S. derramou na Paixão do seu Filho Santíssimo

imagem da edição de 1694

1ª edição: Impresso  por António Alz (Alvarez), Lisboa, 1646;

2ª edição:  Inserida no livro « Luz pera visitar as estações da via sacra….», Coimbra, na Officina de João Antunes, 1694.

3ª edição: Inserida no livro «Vida do Beato Henrique Suso..»,impresso na Officina de Miguel Rodrigues, Lisboa,1764.

4ª edição: Inserida na reedição do livro acima indicado: «Vida do Beato Henrique Suso….», Imprensa da Universidade, Coimbra, 1836;

5ª edição: Estudos de Castelo Branco, Castelo Branco, 1972;

«Novos Triunfos…..»

scan0061 Novos Triunfos do Hercules da Graça
São Domingos de Gusmão
Alcançados dos Antagonistas da sua Veneravel Ordem Terceira Militar e Penitente
.
por Fr. António da Assumpção, o.p., Coimbra, 1752.

Nota: obra de polémica, em resposta a frade franciscano Fr. Jerónimo de Belém, que contestara a alegada primazia da fundação da Ordem Terceira por S. Domingos face à OT de S. Francisco invocada pelo autor na sua obra «Gloriosos trabalhos do do Hercules da Igreja S. Domingos de Gusmão» (1746). São apresentados muitos argumentos com citações de outros autores e em especial dos «Bullarios Dominicanos».

Fr. Bernardo de Santa Rosa

15 de Agosto de 1707 — Nasce na freguesia de Nossa Senhora da Oliveira frei Bernardo de Santa Rosa, religioso dominicano, doutor em teologia, etc. Escritor muito distinto, autor de diferentes obras, entre as quais o “Teatro do mundo visível” que foi editado por seu irmão José Soares da -Fonseca Cardote, reitor da freguesia de S. Martinho de Sande.

Fonte: Efemérides Vimaranenses, de João Lopes de Faria, manuscrito da Biblioteca da Sociedade Martins Sarmento.

Escritura Capela Ordem Terceira em Guimarães

21 de Agosto de 1742 — Por escritura na nota de Jerónimo Luís Machado, os frades de S. Domingos concedem licença à sua Ordem Terceira para edificar capela junto do convento conforme a provisão régia que para isso tinha e de parte a parte estabelecer as condições em que a Ordem Terceira deveria celebrar os actos na nova capela.

Fonte: Efemérides Vimaranenses, de João Lopes de Faria, manuscrito da Biblioteca da Sociedade Martins Sarmento.

Confraria S. Gonçalo de Amarante na Sé do Porto

Estatutos Confraria S. Gonçalo Sé do Porto

Ivo Carneiro de SOUSA – Os estatutos da Confraria de S. Gonçalo de Amarante da Sé do Porto (1768)[S.l. : s.n.], 1996Sep. de: Rev. O Tripeiro, 1996, pp. 25-31CDU: 255(469.121)