D. Domingos Maria Frutuoso op – 1

Nasceu a 13 de Fevereiro de 1867 em Ribeira de Santarém, freguesia de Santa Iria. Foi baptizado a 3 de Março recebendo o nome de Manuel.

Frequentou o Seminário de Santarém obtendo distinções em algumas cadeiras de preparatórios e depois em todos os três anos de curso teológico.

De 1888 a 1893 foi perfeito e professor no Seminário. Ensinara contochão, latim e geografia.

A 15 de Junho de 1889 era ordenando sacerdote por D. Manuel Baptista da Cunha, Arcebuispo de Braga, na ausência do Patriarca D. José Sebastião Neto.

O P.e Manuel Rosa Frutuoso foi sempre considerado um sacerdote exemplar. Durante dois anos, sem deixar o Seminártio, foi pároco de Stª Maria de Óbidos, cargo que resignou por não poder residir na fregueisa.

A 15 de Outubro de 1893 tomou o hábito no convento de Sª Maria Madalena em Saint Maximin-Var, França, professando no ano seguinte.

Estudou a Teologia pela Suma d eS. Tomás no mesmo Convento e no Instituto Católica de Tolosa, e em 1897 regressou a Portugal.

Dedicou-se a vários ministérios, sobretudo ao da pregação. Durante longos anos foi confessor dos alunos do Colégio do Bom Sucesso. Exerceu assim grande e benéfica influência.

A Rainha D. Amélia confou-lhe a educação religiosa dos dois Príncipes, D. Filipe (durante seis anos) e D. Manuel (oito anos).

A revolução de 1910 fê-lo sair do país. Regressou em 1913 retomando o ministério da pregação e das confissões.

Pela Bula «Commisium Humilitati Nostrae» Bento XV nomeava-o Bispo de Portalegre a 7 de Dezembro de 1920 e a 27 do mesmo mês era ele sagrado na Basílica da Estrela em Lisboa.

A 2 de fevereiro de 1921 entrava solenemente na sua Diocese.

Dedicou-se pelas Pastorais, pelas visitas e pela pregação a levantar o nível religioso da Diocese.

Em 1939 celebrou as suas bodas de ouro sacerdotais, em 1945 e 1946 as de prata episcopais, recebendo nessas duas ocasiões autógrafos congratulatórios do Santo Padre Pio XII.

Em 1939 foi agraciado pelo Governo com a Grã Cruz de Cristo e el-rei D. Manuel II já o havia condecorado com a Comenda de Nª Senhora de Conceição de Vila Viçosa.

Quando entrou na Diocese havia apenas o Seminário de Gavião com 20 alunos. Deixou dois Seminários (Gavião e Alcains) com perto de 200 seminaristas e um clero numeroso e bem formado. Fundou a obra das Flores do Santuário para ajudar o recrutamento das vocações e os seminários. Com o mesmo fim instituiu em toda a Diocese o Rosário Perpétuo.

Pouco depois de celebrar as bodas de prata episcopais em 1946 teve de sujeitar-se a uma operação grave e melindrosa. Desde então a saúde e o vigor físico forma diminuíndo e ultimamente estava impossibilitado de qualquer serviço.

A 6 de Junho pela manhã um ataque cerebral punha termo à sua longa e laboriosa vida. Ia já nos 83 anos.

in «O Facho»,no 27,  Agosto de 1949

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: