Postal

1948-imprio-colonial-portugus.26

De uma colecção de postais circulados em 1948

Anúncios

REGRA DA ORDEM TERCEIRA SECULAR DE SÃO DOMINGOS (1964)

Transcrição feita a partir da publicação: «Regra da Ordem Terceira Secular de S. Domingos;  Curia Generalicia da Ordem dos Pregadores; Roma; Convento de Stª Sabina»

 

REGRA DA ORDEM TERCEIRA SECULAR DE SÃO DOMINGOS (1964)

Aos nossos amados filhos de Deus, irmãos e irmãs da Ordem Terceira Secular dos Frades Pregadores ou da Ordem da Penitência de São Domingos

NÓS

FR. ANICETO FERNANDEZ
PROFESSOR DE SAGRADA TEOLOGIA
E HUMILDE MESTRE GERAL E SERVO
DE TODA A ORDEM DOS FRADES PREGADORES

as nossas saudações e o Nosso desejo de progresso no espírito de N.P.S. Domingos

Anuindo aos votos das Comissões dos Capítulos Gerais de Caleruega (1958 nº254) e de Bolonha (1961, nº72), e dando execução à ordenação do de Tolosa (1962, nº230), apresentamo-vos paternalmente a nova Regra da Ordem Terceira da Penitência de S. Domingos, redigidas pela Comissão para o efeito especialmente por Nós delegada.
Na verdade, desejamos informar-vos a todos de que o texto do qual consta esta nova Regra, já antes (1961) aceite por notável maioria dos Promotores de diversas línguas e nações, tem também a aprovação do Capítulo Geral de Tolosa (1962,35) e que a presente Regra, munida da Nossa sanção com a do Nosso Conselho, foi aprovada pela Santa Sé, por três anos e à experiência, como consta do anexo documento.
É, pois, evidente que a Regra que vos entregamos, é a só e única que existe para toda a Nossa Ordem Terceira, e deve ser observada devota e fielmente. No entanto, como ordenou o Capítulo Geral de Bolonha (1961), «além da Regra publicada para toda a Ordem, cada Promotor Provincial, para a sua Província, ou vários Promotores Provinciais para as diversas nações da mesma língua, devem compor ao mesmo tempo uma espécie de Directório, mediante o qual se explique a própria Regra nas línguas vernáculas, e se acomode às várias exigências das pessoas e às normas peculiares dos lugares» (nº273).
Ninguém, porém, ignora que inspiradas principalmente pelo Concílio Ecuménico Vaticano II, se verificam na Igreja certas mudanças e inovações, que, indubitavelmente, também afectam, enquanto lhe cabe, a Nossa Ordem Terceira. Eis porque, comungando nos sentimentos da Igreja e adaptando-nos gradualmente às novas formas de vida, durante a trienal experiência da presente Regra, devemos, mediante um mútuo esforço, procurar conhecer se na definitiva redacção da Regra há coisas a mudar, a inovar ou a completar, e quais estas sejam.
Por meio, pois desta Nossa carta, e pela autoridade do Nosso cargo, aprovando a presente nova Regra da Ordem Terceira da Penitência de S. Domingos, autorizamos a sua publicação, e determinamos que por todos seja usada.

A quaisquer…
Em testemunho do que….

Roma, Convento de Sta Sabina, 30 de Maio do ano de Cristo de 1964.
Fr. ANICETO FERNANDEZ, O.P.
Mestre Geral Continuar a ler

Logotipos dominicanos – 3

3º – Fraternidade de Nossa Senhora do Rosário de Fátima e Fraternidade de São Pedro da Sertã

Logotipos dominicanos – 2

2º Ordem Terceira de São Domingos de Viana do Castelo

Logotipos dominicanos – 1

    • 1º Secretariado Nacional da Ordem Terceira

Programa do Congresso da O.T.

«O que vem a ser um Congresso e para que serve?
a) Tendes ouvido falar muito de Congressos. Hoje fazem-se Congressos de tudo e por nada. Eu desejava que este primeiro Congresso Nacional realizado em Fátima fosse uma concentração de todas as forças vivas da Ordem Terceira Dominicana.Ele será a reunião dos elementos activos de todas as nossas Fraternidades, tanto masculinas, como femininas, espalhadas por esse Portugal fora.
b) Mas para que se fará o Congresso?
Primeiramente é para tomarmos contacto mais directo com os elementos das nossas Fraternidades. Depois, para estudarmos em conjunto os diversos assuntos que dizem respeito à Ordem Terceira: ver as dificuldades que há e como solucioná-las. Falar das nossas obras de apostolado e como actuar. Procurar integrar-nos no ideal Dominicano para o realizar em plenitude no ambiente em que vivemos.
Durante o Congresso serão tratados principalmente os assuntos seguintes:
A ORDEM TERCEIRA E A ACÇÃO CATÓLICA, pela irmã Maria de Jesus Amaral, da Fraternidade do Porto.
A ORDEM TERCEIRA E O APOSTOLADO DO ROSÁRIO, pela irmã Guilhermina Martinho, da Fraternidade da Régua.
A ORDEM TERCEIRA E O APOSTOLADO PAROQUIAL, pela irmã Palmira Lis, da Fraternidade de Ovar.
O APOSTOLADO DO IRMÃO TERCEIRO, pelo nosso irmão Dr. Adolfo Leitão de carvalho, da Fraternidade do Porto.
Todos estes assuntos são interessantes e de grande actualidade.
Oxalá o Retiro e Congresso tragam a nossa querida Ordem Terceira em Portugal um grande vigor espiritual. São estes os votos que formulo ao Céu, pedindo a todos para rezarem pelo bom fruto de um e outro.
Abençoa-vos em Cristo e São Domingos
Padre Estevão da Fonseca Faria, O.P.
(Promotor da Ordem Terceira)»

in o Facho nº49, Julho de 1951

 

Preparação de um Congresso Internacional da O.T.

«(…) Confio muito no futuro Congresso para renovar a vida da Nossa Ordem Terceira.

O Revº Padre ainda nada decidiu para esse Congresso Internacional.Antes de o convocar, era seu desejo que se promovesse congressos nacionais em todas as Províncias para preparação e determinação das discussões. Evidentemente Vª Reverência será avisado, assim que se tomar uma decisão a esse respeito.(…)»

Carta de Fr. André Marie Giraud, Promotor Geral da Ordem Terceira, datada de Roma, 26/01/1952 e enviada ao Promotor Provincial Fr. Estevão da Fonseca Faria OP.

in «O Facho»,  nº44, Fevereiro de 1951